um pensamento

Talvez este texto se pareça  com um tweet de tão pequeno. Não, acho que não.

Quando eu criei este blog, estava pensando em escrever sobre coisas aleatórias também. Imediatamente me veio na mente a incrível arte de girar a canetinha entre os dedos.

A arte de girar a caneta entre os dedos. De onde ela surgiu? Será um truque ninja? Dizem que sim… Independente disso, a minha vontade de aprender a rodar a caneta quando estava no segundo colegial era gigantesca. Achava impressionante. Alguns meninos colocavam borrachinhas nas duas pontas da caneta para garantir maior equilíbrio ao treco.Outros faziam com uma caneta em cada mão. E ainda outros faziam manobras radicais. Eu só conseguia fazer com canetas com tampa ou aquelas mais pesadas de um lado.

Mas o que mais me chamava a atenção era o fato de os meninos fazerem isso O DIA TODO. Os adolescentes já parecerem retardados, mas os que rodavam a caneta conseguiam parecer ainda mais.

Nada de vídeos nem tutoriais ensinando a fazer isso porque…~~ foi só um pensamento~~.

 

 

#ArtintheEats + Festa do Café-com-Biscoito

 

Tisha Cherry uniu arte e comida e criou sua própria marca, a “Eats in the Arts”. Porém, sua especialidade parece que é fazer lindas obras em Oreos. É um mais bonito que o outro! E dá uma vontade e comer! Veja alguns deles:

 

Além de Oreos, ela faz arte em vários tipos de comida, como sorvetes, melancia e grãos de café. É muito lindo!

Dá para ver mais imagens no Instagram dela, instagram.com/tishacherry e no seu site, www.tishacherry.com.

Agora, vamos ao próximo assunto: a Festa do Café-com-Biscoito. Quando estava montando este blog, meu professor Evandro (aquele que mandou (:O) eu e meus colegas criarmos um blog), me falou super bem sobre essa festa localizada na cidade de São Tiago, localizada a 200 km de Belo Horizonte, no sudoeste de Minas Gerais.

fesss.jpg

Parece que os moradores produtores de biscoitos/bolachas forram várias mesas com um montão deles e durante o festival, tudo é servido de graça. Pelo que pesquisei, a tradição começou porque as famílias que viviam lá agradavam os viajantes fazendo biscoitos e refeições em panelas de ferro. Em 1999 foi constituída a ideia de se realizar a “parada do café com biscoito”, que foi aprovada pela lei estadual de incentivo à cultura. A festa acontece até hoje no segundo final de semana de setembro. Em São Tiago também existem  várias fábricas de biscoito, que, pelo que me disseram, têm preços mais caros, mas que vale a pena comprar porque são super gostosos.

Como sou novata em Minas Gerais, ainda não conheço a maioria das cidades por aqui. Vou anotar essa e, quem sabe, possa dar um pulo lá em setembro. Se eu fizer isso, vou postar toda a experiência aqui no blog. 🙂

E falando em experiência, ainda não fiz o ghriba, pois tive problemas em achar umas flores de laranjeira. Queria improvisar na receita, mas, ao mesmo tempo, queria fazer igualzinha a original, pois a água de flores de laranjeira é um ingrediente muuuuito utilizado lá na cozinha marroquina. Enfim, ainda estou devendo.

Até loguinho 🙂

http://beautifuldecay.com/2015/08/06/tisha-cherry-forms-miniature-masterpieces-oreos-icing/

http://www.saotiagoonline.com.br/

 

Primeiro post: o Ghriba, lá do Marrocos

moro-MMAP-md

Olá, pessoal! Como primeiro post do blog, vou falar sobre uma comidinha de um país que me atrai muito, o Marrocos. É um biscoito chamado ghriba, tradicional por lá. Na receita vai farinha, açúcar de confeiteiro, fermento, manteiga, sal, azeite :9 e sementes de gergelim tostadas. Geralmente é combinado com limão, raspas de laranja, canela, amêndoas, flor de laranjeira e nozes, que são ingredientes comuns na comida marroquina. O ghriba mais popular é o Ghriba de  Amêndoas. Li que lá, a receita desta delícia é passada  de geração em geração e na língua marroquina, significa “O Misterioso”.

maxresdefault

O ghriba pode ser feito de várias maneiras, combinando os ingredientes. Pelo que vi, um dos mais apreciados pelos marroquinos é o Ghriba Bahla, que é um biscoito mais crocante e craqueladinho. Esse tipo tem nomes diferentes em várias partes do Marrocos: Ghriba Bahla, Ghriba Dyal Zite (feito com azeite), Mramla e Baldiya.

Não achei nenhum vídeo em português com a receita, mas neste vídeo já dá para ter uma noção. Quero tentar fazer o ghriba ainda e então coloco aqui no blog.

Espero que gostem! Se fizerem e ficar bom me avisem! Adios! 🙂